Região de Atuação

Patrocinadores

Programa Amigos da Onça: Grandes Predadores e Sociobiodiversidade na Caatinga


Equipe Responsável


Coordenadora do programa:
Dra. Claudia Bueno de Campos

Equipe executora:
Dra. Cláudia Bueno de Campos – Bióloga
Msc. Carolina Franco Esteves – Bióloga
Doutoranda Cláudia Sofia G. Martins – Engenheira Agrônoma
Doutorando Douglas de Matos Dias – Biólogo

Descrição

De acordo com a avaliação mais recente do estado de conservação da onça-pintada (Panthera onca) e da onça-parda (Puma concolor) no Bioma Caatinga, elas são consideradas “Criticamente em Perigo” e “Em Perigo” de extinção, respectivamente.

O objetivo geral do Programa “Amigos da Onça: Grandes Predadores e Sociobiodiversidade na Caatinga” é promover a conservação da onça-parda (Puma concolor) e da onça-pintada (Panthera onca) no Bioma Caatinga, com base nos conhecimentos da ecologia e biologia destas espécies e, ainda, com a redução dos conflitos entre homens e onças.

A área de estudo está localizada no norte da Bahia, está distribuída em cinco municípios (Sento Sé, Campo Formoso, Juazeiro, Umburanas e Sobradinho) e é conhecida como Boqueirão da Onça (aproximadamente 9.000 km²). Devido à riqueza de sua fauna e flora é considerada uma área de importância “extremamente alta” para conservação da biodiversidade. Por isso, está faz parte de uma proposta para a criação de uma Unidade de Proteção Integral, o Parque Nacional do Boqueirão da Onça, em andamento no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio e no Ministério do Meio Ambiente – MMA.

Está situada ao norte do Parque Estadual do Morro do Chapéu (460 km²), e do Parque Nacional da Chapada Diamantina (1.520 km²). Esta proximidade permitiu a inserção destas áreas em uma proposta de criação do Corredor Ecológico Caatinga-Onças (aproximadamente 20.000 km²).

O Programa Amigos da Onça tem três linhas base de atuação: Ecológica, Social e Econômica. Ele apresenta uma proposta pioneira para a redução de conflitos entre produtores rurais e onças por meio da mudança de manejo dos rebanhos e da abordagem, dentro das dimensões humanas, do conjunto de percepções que o sertanejo (adultos e crianças) tem sobre as onças. Além disso, o Programa prevê a valorização da mulher como agente educador e catalizador da economia doméstica, por meio do seu papel de agricultora e produtora de alimentos para consumo familiar.

Assim, o Programa colaborará para o preenchimento da lacuna de informações sobre a onça-pintada e a onça-parda no bioma; subsidiará futuras ações de conservação e de tomadas de decisões para redução de conflitos, assim como para a conservação destas duas espécies no nordeste e da biodiversidade da região, além ainda, de possibilitar uma melhoria na qualidade de vida de pequenos produtores rurais.



Para maiores informações visite o site do projeto http://