Membros

Conheça nosso time de especialistas

@Adriano Gambarini

Nossa equipe é formada por profissionais altamente qualificados, experientes e comprometidos com a conservação da biodiversidade. Somos biólogos, veterinários, agrônomos, jornalistas, geólogos, administradores, advogados e outros profissionais dedicados e apaixonados por nosso trabalho. Conheça melhor cada integrante da organização:

Conselho diretor

Presidente

Ricardo Luiz Pires Boulhosa

É pesquisador do Instituto Pró-Carnívoros, biólogo formado pela Universidade de São Paulo com mestrado em Ecologia Aplicada e Conservação pela Universidade de East Anglia, UK (tese: Predação de onça-pintada sobre o gado no Pantanal de Poconé, Brasil). Entre 1994 e 1999 Ricardo coordenou e executou o projeto “Estudo do impacto da predação de onças-pintadas sobre o gado doméstico no Pantanal do Mato Grosso. De 2001 a 2003 coordenou e executou o projeto “Efeito do controle de predadores de topo nas comunidades de vertebrados terrestres no Pantanal Matogrossense”, em quatro diferentes áreas do Pantanal Brasileiro, contando com o financiamento da The Wellcome Trust, UK. Entre 2004 e 2005 trabalhou como consultor PNUD no “Programa Nacional de Controle de Conflitos entre Predadores e População Humana”, do Centro Nacional de Pesquisas para Conservação dos Predadores Naturais (ICMBIO/CENAP). Entre 2005 e 2008 coordenou e executou o Programa de Extensão para Fazendeiros com problemas de predação por Onça-pintada (ROP) da WCS no Pantanal Brasileiro. De 2010 a 2014 exerceu a função de Coordenador Executivo do Instituto Pró-Carnívoros. Em 2017 começou a atuar como coordenador executivo e executor do projeto Lobos do Pardo, no estado de São Paulo e desde abril de 2019 é o atual presidente do Instituto Pró-Carnívoros.
Vice Presidente

Dênis Aléssio Sana

Biólogo, formado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), MSc em Ecologia pela UFRGS – 2013. Atualmente doutorando no Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal (PPGBAN, UFRGS). Coordenou e executou o programa “Pesquisa e Conservação de Grandes Felinos no Alto Rio Paraná” de 1998 a 2010 pelo IPC além de participar do projeto “Ações de Governança Participativa no Corredor de Biodiversidade do rio Paraná – Bioma Mata Atlântica”, juntamente com diversas instituições além do IPC. Trabalhou para o Setor de Fauna do Departamento de Biodiversidade da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Rio Grande do Sul (SEFAU / DBIO /SEMA-RS), entre 2014 e 2016. Voltado para o estudo da biologia de mamíferos é pesquisador associado do Instituto Pro-Carnívoros desde 1998, com foco na pesquisa, manejo e conservação dos grandes felinos neotropicais, onça-parda (Puma concolor) e onça-pintada (Panthera onca). Interesses atuais incluem os aspectos práticos e legais da gestão da natureza e da vida selvagem.

Adriano Augusto Gambarini

Adriano Gambarini, é fotógrafo profissional desde 1992, autor e editor. Formado em Geologia pela USP, é autor fotográfico de 18 livros, entre eles Panthera onca – à Sombra das Florestas, Histórias de um Lobo (finalista Jabuti 2013), A Onça na Cultura Pantaneira e Expedição Langsdorff. Assina ainda os textos de Cavernas no Brasil (finalista Jabuti 2012), Velho Chico,o Rio e A Origem do Homem e seus Deuses, em autoria com o historiador Leandro Karnal.
Vencedor do Premio Comunique-se 2019, na Categoria Profissional da Imagem, foi fotógrafo permanente da revista National Geographic Brasil durante todo seu tempo de produção nacional, e notabilizou-se por documentar projetos conservacionistas e etnográficos de maneira sistemática e a longo prazo, integrando um vasto conhecimento sobre meio ambiente, ecologia e biologia de fauna silvestre, cultura e comportamento de populações tradicionais.
É diretor da Gamba Imagens, com 380 mil fotografias de ecossistemas, populações étnicas e cultura do Brasil, Antártica e mais 40 países.
Trabalha como editor de arte e fotografia em livros e exposições fotográficas, ministra workshops e encontros fotográficos em viagens pelo Brasil e exterior.
É diretor de fotografia e roteirista de documentários, e produziu trabalhos para o ICMBIO/Cenap, Smithsonian Institute, Instituto Mamirauá e o Instituto Indígena OPAN.
Três vezes palestrantes do TEDx, é frequentemente convidado para entrevistas e ministrar palestras sobre a fotografia como forma de comunicação e interpretação das relações humanas com o ambiente.
Associado e membro diretor do Instituto Pró-Carnívoros, em 2009 produziu o livro Natureza, Conservação e Cultura, onde descreve todos carnívoros brasileiros e trabalho dos pesquisadores. Foi responsável pela direção e imagens do vídeo institucional.
Fotógrafo permanente da National Geographic Brasil, foi responsável por várias matérias com onças-pintadas, lobo-guará e raposa-do-campo. Notabilizou-se por documentar projetos conservacionistas e etnográficos de maneira sistemática e a longo prazo, integrando um vasto conhecimento sobre meio ambiente, ecologia e biologia de fauna silvestre, cultura e comportamento de populações tradicionais. Documenta Planos de Manejo de Unidades de Conservação, Projetos de Estudo de Impacto Ambiental e Expedições Científicas de ONGs como WWF, Conservation International (CI), The Nature Conservancy (TNC), CENAP/ICMBio e Instituto Terra Brasilis. É diretor da Gamba Imagens, com 330 mil fotografias de ecossistemas, populações étnicas e cultura do Brasil, Antártica e mais 33 países. Trabalha como editor de arte e fotografia em livros e exposições fotográficas, ministra workshops e encontros fotográficos em viagens pelo Brasil e exterior. Três vezes palestrantes do TEDx, é frequentemente convidado a ministrar palestras sobre fotografia como forma de comunicação e interpretação das relações humanas com o ambiente.

É produtor, diretor de fotografia e roteirista de documentários, entre eles: “Onça-pintada” para o ICMBIO/Cenap, “Amazônia Pré-colonial”, para o Instituto Mamirauá, “Snail Kite – New discoveries from South America” e “Bare-throated Bellbird”, para o Smithsonian Institute, de Washington, EUA.

Jean Pierre Santos

É pesquisador associado do Instituto Pró-Carnívoros, atuando na conservação do Lobo-guará na região da Serra da Canastra, MG.

Sandra Maria Cintra Cavalcanti

Sandra M. C. Cavalcanti tem formação multidisciplinar, em engenharia agronômica e zootecnia, e especialização em biologia da conservação, tema com o qual trabalha há mais de 30 anos. Com mestrado em manejo de fauna silvestre e doutorado em ecologia e conservação, ambos pela Utah State University nos Estados Unidos, coordenou diferentes projetos de pesquisa, incluindo um dos estudos pioneiros no uso da rádio telemetria com tecnologia GPS no Brasil. Este projeto foi responsável pela criação do mais compreensivo banco de dados coletados até o presente sobre a ecologia alimentar da onça-pintada, resultando em importantes publicações científicas. Foi também responsável pelo primeiro levantamento populacional sobre a onça-pintada no Brasil, desenvolvido em parceria com M. K. Soisalo, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, que resultou em publicação altamente reconhecida por discutir métodos até então adotados como dogmas. S. Cavalcanti tem um forte compromisso com a conservação da biodiversidade e dos grandes carnívoros, particularmente os grandes felinos. Tem experiência nacional e internacional, tendo colaborado com diversas instituições, entre elas Cenap/ICMBio, Esalq-USP, SEMA/SP, Game and Fish Department of Arizona, Berryman Institute e IA-RBMA. Ao longo dos anos recebeu e treinou diversos estudantes na área de biologia e ecologia, alguns dos quais posteriormente iniciaram e completaram projetos acadêmicos sob sua coorientação. Foi consultora de revistas científicas internacionais e autora de importantes publicações sobre ecologia de felinos e conflitos com o ser humano. É pesquisadora do Instituto Pró-Carnívoros desde a sua fundação, em 1996, e entre 2011 e 2019 exerceu o cargo de presidente da instituição.

Conselho fiscal

Adauto Tadeu Basílio

Formação: Contador / Administrador

EXPERIÊNCIA E ATIVIDADES
• Gerente de Contadoria, Auditor, Consultor Fiscal e Tributário de 1974 a 1993.
• De 1993 a 2017, Diretor Administrativo, Financeiro, Marketing, Captador de Recursos e Coordenador de projetos (por 24 anos) na ONG Fundação SOS Mata Atlântica.
• Atualmente Presidente e Fundador do Instituto AÇÃO Sustentável
• Atualmente: Idealizador e coordenador do Programa e Site SOSFLORESTAS.COM.

Carlos Alberto de Aquino

Atua como Gestor de áreas verdes no Sesc Bertioga, foi gerente no Convention Bureau de Atibaia, diretor das Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Atibaia, coordenador da Câmara Técnica de Recursos Naturais do Comitê PCJ, Atividades, representante do Comitê de Bacias na Reserva da Biosfera - Cinturão Verde de São Paulo, engenheiro responsável pela implantação e acompanhamento de projetos Florestais e viveiro de mudas – Associação Flora Cantareira.
conselho fiscal do Associação Pró Carnívoros

Publicações: Educação ambiental – VER JULGAR AGIR EMBRAPA Meio Ambiente 2004

Novos Rumos do Direito Ambiental Ed. Millennium 2006

Especialização: Programa de Desenvolvimento Gerencial em Turismo Ministério do Turismo e Universidade Federal Fluminense
Demografia e Meio Ambiente – UNICAMP/ UNESCO

Associados

Carolina Franco Esteves

Bióloga formada pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo (2007), com extensão na Bishop´s University, Canadá. Mestre em Zoologia pela Universidade Estadual Paulista, campus de Rio Claro (2010). Tem experiência e interesse na área de biologia e ecologia da conservação de mamíferos de médio e grande porte, nas temáticas de distribuição espacial, modelagem, predação e dieta. É co-fundadora e pesquisadora do “Programa Amigos da Onça: grandes predadores e sociobiodiversidade na Caatinga”, sediado no Instituto Pró-Carnívoros, que atua desde 2012 com esforços de conservação da onça-pintada e onça-parda no bioma, além da resolução de conflitos entre criadores de rebanhos e onças.

Carolina Ribas

Bióloga e produtora de documentários de natureza. Possui mestrado em Ecologia e Conservação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), doutorado em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e Pós doutorado em Genética pelo Laboratório de Biodiversidade Molecular (LBDM) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Em 2002, orientada por Guilherme Mourão/Embrapa Pantanal, iniciou um programa de monitoramento de ariranhas no Pantanal Sul, com o objetivo de estudar as relações sociais da espécie ao longo do tempo. Sua tese de doutorado investigou, através da ecologia molecular, o grau de parentesco entre indivíduos da população e quebrou o conhecimento corrente que afirmava que os grupos eram apenas compostos de um casal reprodutor e seus filhotes, além de gerar insights evolutivos sobre a espécie.

Membro do Grupo de Especialista em Lontras (Otter Specialist Group) e Comissão de Sobrevivência das Espécies (Species Survival Commission) da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). Articuladora no Plano de Ação Nacional para a Conservação da Ariranha – PAN (ICMBio).

Desde 2003 trabalha como consultora científica e produtora para documentários de natureza para canais internacionais como Nat Geo, BBC, Smithsonian Channel, entre outros. Recentemente, tem focado em trabalhos com produtoras brasileiras em documentários sociais/ambientais de impacto.

Claudia Bueno de Campos

Possui graduação em Ciências Biológicas (Universidade Metodista de Piracicaba/2002), Mestrado em Ecologia de Agroecossistemas (2004), Doutorado em Ecologia Aplicada (2009), ambos pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"/USP, e Pós-Doutorado Júnior pela USP - Campus "Luiz de Queiroz". Atualmente é Chefe do Núcleo de Gestão Integrada - NGI ICMBio Juazeiro para a gestão das unidades de conservação Parque Nacional e Área de Proteção Ambiental do Boqueirão da Onça e Reserva de Vida Silvestre e Área de Proteção Ambiental da Ararinha-azul. Associada ao Instituto para Conservação dos Carnívoros Neotropicais - Pró-Carnívoros. Possui experiência na área de Ecologia e Biologia da Conservação de mamíferos de médio e grande porte, com ênfase em carnívoros. Co-fundadora e ex-coordenadora do "Programa Amigos da Onça: grandes predadores e sociobiodiversidade na Caatinga", programa multidisciplinar com esforços de conservação da onça-pintada e da onça-parda neste bioma. É membro do Grupo de Assessoramento Técnico do Plano de Ação Nacional (PAN) de Conservação dos Grandes Felinos - ICMBio e colabora com PANs de outras espécies de mamíferos do Brasil.

Cláudia Sofia Guerreiro Martins

Engenheira Agrônoma, formada pelo Instituto Superior de Agronomia, Universidade de Lisboa, com especialização em Agronomia Tropical e Subtropical (2004). Mestre e doutora em Ecologia Aplicada pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo (2008 e 2020, respectivamente). Experiência em gestão de projetos, políticas públicas e cooperação internacional em educação ambiental, junto à administração pública e organismos internacionais. Atua na área de conflitos socioambientais, com foco para as relações entre pessoas e fauna silvestre, e entre pessoas e instituições, principalmente em unidades de conservação e seu entorno. É cofundadora do “Programa Amigos da Onça: grandes predadores e sociobiodiversidade na Caatinga”, alocado no Instituto Pró-Carnívoros, que atua desde 2012 com esforços de conservação da onça-pintada e onça-parda no bioma e a coexistência com as comunidades humanas.

Eduardo Eizirik

É biólogo, mestre em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, doutor em Biologia (Genética) pela University of Maryland, EUA, e com pós-doutorado em genética de carnívoros no Laboratory of Genomic Diversity, NIH, EUA. Participou de projetos vinculados à conservação de carnívoros desde 1991, inicialmente trabalhando em campo mas desde 1993 abordando principalmente aspectos de evolução, ecologia molecular e genética da conservação deste grupo, com ênfase em felinos. Atualmente é Professor Titular da Escola de Ciências da PUCRS, e desenvolve diversos projetos de pesquisa enfocando genética molecular, genômica, evolução, ecologia e conservação de carnívoros, incluindo estudos de filogenia, taxonomia e filogeografia de diversas espécies, bem como análises de genética de populações de onça-pintada, gatos-do-mato, canídeos neotropicais, lontras, jaratatacas, entre outros. Além de estudos tradicionais de genética evolutiva e ecologia molecular, desenvolve projetos de genômica empregando métodos de sequenciamento de DNA de nova geração, com foco principal no Projeto Genoma da Onça-Pintada, liderado pelo seu grupo de pesquisa.

Emiliano Esterci Ramalho

O Dr. Emiliano Esterci Ramalho é Diretor Técnico-Científico do Instituto Mamirauá (www.mamiraua.org.br), coordenador do Projeto Providence (www.projectprovidence.org.br), e líder do Grupo de Pesquisa Ecologia e Conservação de Felinos na Amazônia. Fez graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003), mestrado em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (2006), e doutorado no departamento de Ecologia e Conservação da Vida Silvestre, na Universidade da Flórida, apoiado por uma bolsa de doutorado pleno da CAPES/Fulbright. É membro fundador da Aliança para a Conservação da Onça-pintada (facebook.com/aliancaonca) e membro do Instituto Pró-Carnívoros (procarnivoros.org.br). Dedicou os últimos 16 anos da sua carreira profissional na conservação da onça-pintada e no estudo da ecologia deste grande predador nas Florestas Inundáveis de Várzea da Amazônia com o objetivo de reduzir o número de onças mortas por caçadores e na melhoria da qualidade de vida das pessoas que convivem com a espécie. Atualmente é responsável pelo maior e mais antigo programa de pesquisa e conservação da onça-pintada na Amazônia Brasileira. Também atua nas áreas de monitoramento de biodiversidade de base comunitária, uso sustentável de recursos naturais, redes de pesquisa e conservação, e inovações tecnológicas para o monitoramento da biodiversidade.

Fábio Dias Mazim

Bacharel em Ecologia pela UCPEL (2003), com vasta experiencia na captura de carnívoros neotropicais de pequeno e médio porte. Está vinculado ao Cadastro Técnico Federal do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis sob o registro 529627. Atua na área técnica em consultorias para licenciamento ambiental, diagnósticos e prognósticos para EIA/RIMA, RAS e Planos de Manejo desde 2001. Na área acadêmica atua em projetos de pesquisa na área de zoologia, com ênfase em carnívoros. Sócio Fundador da empresa Ka´aguy Consultoria Ambiental Ltda sediada no Rio Grande do Sul desde 2006.

Atualmente executa projetos de rádio-telemetria e câmera-trap com pequenos felinos em áreas do Pampa e Mata Atlântica do Brasil meridional. Realiza também trabalhos para BBC e NatGeo Wild com foco em pequenos e grandes felinos (puma na Patagônia, onça-pintada no Pantanal e com seis espécies de pequenos felinos do Rio Grande do Sul).

Felipe Bortolotto Peters

Biólogo graduado pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, Canoas/RS. Tem experiência acadêmica em mastozoologia, nas temáticas relacionadas a ecologia, sanidade e taxonomia de grupos recentes, além de representação técnica no âmbito do monitoramento e diagnóstico de fauna, visando atendimento as demandas direcionadas aos processos de licenciamento ambiental.
É pesquisador membro do Instituto Pró-Carnívoros desde 2019, atuando com ecologia espacial de pequenos felinos neotropicais, no âmbito do Programa Gatos do Mato-Brasil/IPC (Atibaia, SP) e UEMA (São Luís, MA); diversidade de patógenos e ectoparasitas associados à felídeos e canídeos silvestres, no âmbito do Projeto Ecoepidemiologia de Zoonoses Emergentes em Reservatórios Silvestres/IPVDF (Eldorado do Sul, RS); hábitos alimentares conservação e distribuição de carnívoros, em parceria com Museu de Ciências Naturais/FZB, Laboratório de Biologia Genômica e Molecular/PUC, Instituto de Biociências/UFRGS (Porto Alegre, RS), Museu de Ciências Naturais/ULBRA (Canoas, RS) e Laboratório de Aves e Mamíferos/UNIPAMPA (São Gabriel, RS).
É sócio fundador da empresa Área de Vida - Consultoria Ambiental, atendendo demandas de licenciamento aplicadas à fauna silvestre. Especificamente relacionado a carnívoros, é responsável técnico pela execução de monitoramentos inéditos e pioneiros envolvendo ecologia espacial de gato-do-mato-grande (Leopardus geoffroyi), gato-maracajá (Leopardus wiedii), jaguatirica (Leopardus pardalis), gato-mourisco (Herpaillurus yagouaroundi) e graxaim-do-campo (Lycalopex gymnocercus) direcionados ao processo de licenciamento ambiental de rodovias e aproveitamentos hidrelétricos ou termoelétricos no sul do Brasil.

Fernanda Abra

Fernanda Abra é Bióloga, Mestre e Doutora em Ecologia aplicada pela USP e, atualmente é pesquisadora posdoc associada ao Centro de Conservação e Sustentabilidade do Smithsonian Institution em Washington DC, Estados Unidos. É sócia-diretora da ViaFAUNA, uma empresa de consultoria ambiental especializada em estudos e manejos inovadores de fauna em empreendimentos de transporte como rodovias, ferrovias e aeroportos. Também atua como consultora autônoma em projetos específicos do Banco Interamericano do Desenvolvimento e do Banco Mundial. Desde 2014 já coordenou mais de 40 projetos de fauna em rodovias e ferrovias no Brasil.
Possui interesse na área de Ecologia de Estradas, especialmente sobre padrões espaciais e temporais da mortalidade por atropelamento de mamíferos de médio em grande porte, bem como em conhecer custos de segurança humana e econômicos oriundos da colisão envolvendo animais em rodovias. A contribuição de seu trabalho como pesquisadora e na consultoria ambiental é pela redução dos impactos de atropelamento de animais em empreendimentos rodoferroviários, recomendando, de formas inovadoras, diferentes tipos de medidas de mitigação.
Fernanda atua voluntariamente em projetos de conservação de espécies ameaçadas como a anta (INCAB/IPÊ – Iniciativa Nacional para Conservação da Anta Brasileira) e tamanduá bandeira (Projeto Bandeiras e Rodovias) no Estado do Mato Grosso do Sul. Coordena as frentes de trabalho relacionadas ao impactos de transportes lineares dos Planos de Ações Nacionais dos canídeos, grandes felinos, pequenos felinos e ungulados ameaçados de extinção do ICMBio.
Fernanda foi ganhadora do Future For Nature Awards 2019 e finalista do Prêmio Mulheres do Ano da Revista Claudia no mesmo ano.

Fernanda Michalski

É bióloga e possui Mestrado em Biologia Animal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, doutorado em Conservação, Ecologia e Evolução pela School of Environmental Sciences, University of East Anglia, UK, e pós-doutorado em Ecologia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professora adjunta na Universidade Federal do Amapá e credenciada para orientar mestrado e doutorado no Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical (UNIFAP) e no Programa de Pós-Graduação em Ecologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Tem experiência na área de ecologia, com ênfase em ecologia aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: fragmentação, ecologia de paisagem, carnívoros, mamíferos e Floresta Amazônica.

Fernando Cesar Cascelli de Azevedo

Possui graduação e licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília, mestrado em Ecologia pela Universidade de Brasília e doutorado Ph.D. in Natural Resources, Department of Fish and Wildlife Resources – University of Idaho, EUA. Realizou seu Pós Doutorado pela Universidade de São Paulo, Laboratório de Ecologia Animal, ESALQ/Piracicaba. Atualmente é Professor Associado I do Departamento de Ciências Naturais da Universidade Federal de São João del Rei em Minas Gerais. Tem experiência e interesses na área de Ecologia e Biologia da Conservação, com ênfase em Ecologia Quantitativa, Conservação e Manejo de Carnívoros Silvestres, atuando principalmente nos seguintes temas: mamíferos, carnívoros silvestres, predação e comportamento.

Flávia Pereira Tirelli

É bióloga, mestre em Biologia Animal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e doutora em Zoologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), atualmente é pós-doutoranda PNPD e docente junto ao Programa de Pós-graduação em Biologia Animal (UFRGS). Flávia tem interesse em ecologia e conservação de carnívoros, especialmente felídeos. Ela estuda felinos neotropicais desde 2006, com foco em estimativas de densidade populacional, padrões comportamentais, distribuição geográfica, modelagem de distribuição e dieta, usando uma variedade de métodos (telemetria VHF, armadilhas fotográficas, ferramentas moleculares, amostras fecais, tricologia, atropelamentos, etc). É responsável pelo projeto ” Ecologia espaço-temporal de carnívoros em paisagens com distintos níveis de alteração antrópica”, o qual envolve os biomas Mata Atlântica e Pampa.

Henrique Villas Boas Concone

Possui Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1998) e Mestrado em Ecologia e Conservação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2004). Atualmente está cursando Doutorado em Ecologia Aplicada no Programa Interunidades ESALQ-CENA da Universidade de São Paulo. Tem ampla experiência na área de Ecologia de Mamíferos, com interesse especial em questões relacionadas à ecologia espacial e de interações predador-presa. Trabalhou com ecologia de jaguatiricas no Mestrado e por cinco anos (2005-2009) atuou como biólogo de campo dos Projetos Gadonça e Onça-Pantaneira (Instituto Pró-Carnívoros), que envolveram pesquisa sobre conflitos entre onças-pintadas, onças-pardas e animais domésticos no Pantanal sul. Desde o final de 2011 é pesquisador do Instituto Pró-Carnívoros. Em 2014 se tornou também um dos representantes regionais do Brasil para a Wild Felid Research and Management Association (EUA).

Joares May

É médico veterinário, Mestre pela Universidade de São Paulo – USP na área de Epidemiologia Veterinária. Trabalha com conservação de carnívoros selvagens de vida livre desde 2003. Professor da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) dos cursos de Medicina Veterinária e Biologia. Atua em projetos de conservação de carnívoros, principalmente de onça-pintada nos bioma do Pantanal, Cerrado, Caatinga e Mata Atlântica, além de México, Belize, Colombia e Chile, sempre atuando na área de captura e epidemiologia veterinária.

Julio César Dalponte

É biólogo e possui doutorado em Biologia Animal pela Universidade de Brasília, DF. Atualmente dirige a empresa Rastos: Planejamento & Serviços Ambientais para a Vida Silvestre, atuando em parceria com instituições governamentais e não-governamentais como consultor em programas e projetos com foco em pesquisa e conservação de mamíferos.

Katia Ferraz

É bióloga e possui mestrado em Psicologia Experimental pela Universidade de São Paulo (USP), doutorado em Ecologia pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ) e Pós-Doutorado pela USP. Atualmente é docente no Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP responsável pela área de Ecologia e Conservação. Faz parte dos Programas de Pós-Graduação Interunidades em Ecologia Aplicada (PPGI-EA/ESALQ-CENA) e Programa de Pós-Graduação em Recursos Florestais (PPGRF/ESALQ/USP). Coordena o Laboratório de Ecologia, Manejo e Conservação de Fauna Silvestre (LEMaC: www.esalqlemac.com.br). Atualmente coordena projetos de ecologia e conservação de mamíferos na Mata Atlântica, dimensões humanas e planejamento para a conservação. Tem contribuído significativamente para a elaboração dos Planos Nacionais para Conservação de Espécies Ameaçadas, desde 2009, em parceira com o ICMBio, e com workshops de conservação de espécies ameaçadas pelo Grupo de Especialistas em Planejamento para a Conservação (CPSG Brasil) da IUCN, gerando modelos de distribuição de espécies como suporte para decisões em conservação. Tem experiência em pesquisa multidisciplinar integrando ecologia, dimensões humanas e planejamento para a conservação.

Laís Duarte

Laís Duarte é jornalista, formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora, com especializações em Economia e Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Hoje é repórter do programa Repórter Eco, da TV Cultura de São Paulo e do Jornal da Cultura. Trabalhou como correspondente internacional da emissora em Washington, nos EUA e participou da bancada do programa Roda Viva. Fez reportagens especiais na África, América do Sul, Alasca e no Brasil sobre biodiversidade, mudanças climáticas, projetos de conservação, espécies da fauna e flora, comunidades tradicionais. Coordenou a equipe da Tv Cultura nas coberturas do Fórum Mundial da Agua, em 2019. Trabalhou antes como repórter nas afiliadas da TV Globo em Minas Gerais, produzindo reportagens estaduais, nacionais e internacionais, além do Globo Repórter sobre a Serra da Canastra. Colaboradora frequente de revistas, tem textos publicados em Terra da Gente, Piauí, Brasileiros, Claudia, Almanaque Brasil, Viaje Mais, Vida Simples, entre outras. É autora, roteirista e narradora do curta-metragem que celebra o Dia Nacional da Onça-pintada. É autora também dos livros "Panthera onca- À sombra das Florestas", " Serra da Canastra, diversidade Infinita", “ A onça na cultura pantaneira”, “Flor do Cerrado” "Água- conservação e cultura", entre outros. Foi vencedora do Prêmio Especialistas da Comunicação, na categoria Sustentabilidade em 2018 e 2019.

Marcelo Magioli

Graduado em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC-Campinas (2004-2007), com doutorado no Programa de Pós-Graduação Interunidades de Ecologia Aplicada da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - CENA/ESALQ/USP (2014-2018). Atualmente é pesquisador associado do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (ICMBio/CENAP) e do Instituto Pró-Carnívoros, e colaborador do Laboratório de Ecologia, Manejo e Conservação de Fauna Silvestre (LEMaC/ESALQ/USP). Desenvolve pesquisas em ecologia trófica, de comunidades e funcional, e análise de isótopos estáveis, com foco em mamíferos. É o 3º secretário da diretoria da Sociedade Brasileira de Mastozoologia (SBMz 2019-2021).

Marina Ochoa Favarini

Graduada em Ciências Biológicas (2007), possui especialização em Biologia e Genética Forense (2009) e mestrado em Zoologia (2011), todos pela Pontifícia Universidade Católica do RS – PUC/RS. Tem experiência em sistemática, evolução, ecologia e conservação de carnívoros, especialmente canídeos e felídeos. Desde 2016 vem desenvolvendo estudos em ecologia espacial e densidade de felinos no sul do Brasil, nos biomas Pampa e Mata Atlântica, através do uso de armadilhas fotográficas e da telemetria (VHF e GPS). Atua também com programas educacionais e de monitoramento de fauna no âmbito do licenciamento ambiental.

Silvio Marchini

Doutor em Zoologia pela Universidade de Oxford, é pesquisador associado e 'conservation fellow' na colaboração entre Wildlife Conservation Research Unit (WildCRU) da Universidade de Oxford, Laboratório de Ecologia, Manejo e Conservação de Fauna Silvestre (LEMaC) da ESALQ-USP, e Chester Zoo (Reino Unido); membro da Força Tarefa em Conflito Humano-Fauna e do Grupo de Especialistas em Planejamento da Conservação (CPSG), ambos da IUCN; editor associado das revistas Frontiers in Conservaton Science, Conservation Science& Practice (Society for Conservation Biology) e Animal Conservation(Zoological Society of London) e editor do livro ‘Human-Wildlife Interactions:Turning Conflict into Coexistence’ (Cambridge University Press); ganhador do Whitley Award por seu projeto 'Escola da Amazônia'; tem atuado em pesquisa,capacitação e facilitação na área de Dimensões Humanas e de Planejamento da Coexistência, com foco na tomada de decisão e no monitoramento & avaliação de resultados, no Brasil, Inglaterra, Estados Unidos, Malásia, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica e Peru.

Tadeu Gomes de Oliveira

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão, mestrado em Wildlife Ecology and Conservation pela University of Florida e doutorado na mesma área pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é professor assistente da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), pesquisador/assessor científico do Instituto para Conservação dos Carnívoros Neotropicais (Pró-Carnívoros) e da Pró-Vida Brasil. É membro bastante atuante do grupo de especialistas em felinos da IUCN, o Cat Specialist Group desde 1995 (IUCN/SSC/Cat Specialist Group). Também integra o grupo de especialistas em pequenos carnívoros da IUCN, Small Carnivore Specialist Group (IUCN/SSC/Small Carnivores Specialist Group). Integra também diversos comitês assessores de espécies ameaçadas do Brasil. Tem experiência na área de Ecologia e Conservação Animal, atuando principalmente com felinos neotropicais, outros carnívoros e espécies ameaçadas, além da composição das comunidades de mamíferos, avaliação de status e impactos. Atua em diversas áreas do Brasil, mas especialmente na Amazônia oriental e Cerrado norte, além da Caatinga e, em menor escala, na Mata Atlântica e Pampa.

Tatiane Campos Trigo

Bióloga, graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com Mestrado e Doutorado em Genética e Biologia Molecular pela mesma universidade e Pós-Doutorado pelo PPG-Zoologia (PUCRS) e PPG-Genética e Biologia Molecular (UFRGS). Atualmente é pesquisadora no setor de Mastozoologia do Museu de Ciências Naturais do Rio Grande do Sul, vinculado à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrura. É curadora da coleção de mamíferos do Museu e desenvolve atividades de pesquisa especialmente com carnívoros. Seu principal foco de estudo são os felídeos de pequeno porte, com enfoque nas áreas da genética evolutiva, genética da conservação, ecologia e conservação de felídeos e outros carnívoros.

Valéria Amorim Conforti

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense (1991-1995), mestrado em Animal Science – University of Idaho (2000-2002), doutorado em Animal Science – Washington State University (2003-2007) e pós-doutorado pelo Cincinnati Zoo & Botanical Garden (2007-2010; Ohio, EUA). No Centro para Conservação e Pesquisa de Espécies Ameaçadas do Zoológico de Cincinnati (Center for Conservation and Research of Endangered Wildlife; 2007-2010), trabalhou com fisiologia reprodutiva, biotecnologia da reprodução de felinos domésticos e silvestres e imunocontracepção de felinos domésticos. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Reprodução Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: felinos silvestres e domésticos, fisiologia reprodutiva, endocrinologia, imunocontracepção, biotecnologias da reprodução, fertilização in vitro e tecnologias de inseminação artificial e transferência de embriões por meio de laparoscopia em felinos domésticos e silvestres. É docente do curso de Mestrado em Medicina Veterinária de Pequenos Animais, modalidade Stricto Sensu, da UNIFRAN, Franca, SP.

Yara de Melo Barros

Bióloga pela USP (Ribeirão Preto), com mestrado e doutorado em Zoologia pela UNESP (Rio Claro).
Coordenadora Executiva do Projeto Onças do Iguaçu e membro do Grupo Especialista em Planejamento para a Conservação (CPSG Brasil – IUCN).
Trabalhou no IBAMA e ICMBio com conservação de espécies ameaçadas. Foi presidente da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil. É coordenadora do Programa ex situ do Projeto Harpia.

Administração

Juliana Demori Fernandes

É bióloga formada em bacharelado e licenciatura pela UNG. Possui especialização na área de educação. Desde de 2004 completa o quadro de funcionários do Instituto atuando com educação ambiental e auxiliando na administração do IPC.

Viviane Mazone Pismel

É administradora de empresas formada pela Universidade Metodista de Piracicaba com especialização em finanças. Atuou no setor bancario nas empresas Unibanco e Bradesco.
Desde de 2005 coordena a administração do Instituto Pró-Carnívoros.

Jurídico

Patricia Boulhosa

Patricia Pires Boulhosa é advogada e historiadora. No Brasil, trabalhou em direito penal e de família como estagiária e depois, como advogada, em direito marítimo. Na Inglaterra, trabalhou em direito contratual na área de sustentabilidade. Há anos presta assessoria jurídica pro bono ao IPC. É associada honorária do Anglo-Saxon, Norse, and Celtic Department da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, onde pesquisa a história da Islândia medieval.

Comunicação

Cecilia Araújo

Formada em Comunicação Social – Relações Públicas pela Universidade Metodista de Piracicaba. Experiência de mais de 40 anos em Assessoria de Imprensa, Relações Públicas e Eventos. Desenvolvimento de programas de comunicação interna e externa e eventos de caráter institucional e promocional. Colaboração da Mestieri PR para a divulgação do IPC junto à Imprensa.

Flávia Ribeiro

Flávia Ribeiro possui graduação em Ciências Biológicas pela PUC/MG e mestrado em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre pela UFMG. Desde 2005, atua na conservação do pato-mergulhão (Mergus octosetaceus), espécie criticamente ameaçada de extinção, conduzindo atividades de pesquisa e Educação Ambiental na região do Parque Nacional da Serra da Canastra. Foi membro do grupo assessor do Plano de Ação Nacional para Conservação do Pato-mergulhão (CEMAVE/ICMBio) e é membro do Threatened Waterfowl Specialist Group (WWT/IUCN) e do Duck Specialist Group (IUCN). É autora do livro 'O Pato-mergulhão na Serra da Canastra - um dos seus últimos refúgios'.
É responsável pela produção de conteúdo técnico ambiental, com ênfase na conservação de carnívoros, para as mídias sociais do Instituto Pró-Carnívoros, atuando no relacionamento com o público e no processo de análise e monitoramento das mídias.

Roberta Mestieri

Pós graduada em Propaganda e Marketing pela ESPM. Sócia Diretora da Mestieri Public Relations, atua há mais de 30 anos na área de Comuicação Empresarial. Responsável pela construção da reputação de diversas empresas e no relacionamento entre as marcas e seus públicos estratégicos. Colaboração da Mestieri PR para a divulgação do IPC junto à Imprensa.

Sulce Lima Papineanu

Mestre em Comunicação e Práticas de Consumo pela ESPM e especialização em Sustentabilidade pela Fundação Getúlio Vargas, atua há 50 anos na comunicação publicitária em agências de Propaganda, ONGs e ações sociais empresariais. Atualmente professora de Publicidade e Propaganda na graduação do Centro Universitário Senac – São Paulo e conselheira de comunicação do Instituto Pró-Carnívoros.

@Adriano Gambarini

Veja mais informações sobre o Pró Carnívoros