Programa Amigos da Onça: Grandes predadores e sociobiodiversidade na Caatinga

A Caatinga abriga os maiores predadores terrestres do país, onças-pintadas (Panthera onca) e onças-pardas (Puma concolor), porém, com populações fragmentadas e em declínio. Nesta ecorregião, estas espécies ocorrem simpatricamente na maior parte de suas áreas de vida, sendo que ambas são perseguidas e, na maioria das vezes, abatidas, principalmente em retaliação à predação de rebanhos (caprinos, ovinos e bovinos).

De acordo com a avaliação mais recente do estado de conservação da onça-pintada e da onça-parda na Caatinga, elas são consideradas “Criticamente em Perigo” e “Em Perigo” de extinção, respectivamente.

O Programa Amigos da Onça: Grandes Predadores e Sociobiodiversidade na Caatinga realiza ações pioneiras para a redução de conflitos entre gente e onças nesse bioma, conflito que pode causar o abate de indivíduos destas espécies. O Programa propõe a mudança de manejo dos rebanhos (caprinos e ovinos) e, usando o quadro conceitual e metodológico das dimensões humanas, pesquisa as percepções, tolerância, conhecimentos e sentimentos que o sertanejo (adultos e crianças) tem sobre as onças. O Programa também coleta informações para o estudo da ecologia e biologia destes grandes felinos e suas presas naturais para subsidiar ações de conservação destas espécies.

O objetivo geral do Programa é promover a conservação da onça-pintada e onça-parda na Caatinga, por meio de:

  • Conhecimento da ecologia e biologia destas espécies subsidiando ações de conservação, na poligonal de Unidades de Conservação (UCs) do Boqueirão da Onça e seu entorno;
  • Desenvolvimento de meios alternativos e sustentáveis de subsistência ​​para aliviar a pobreza que muitas vezes causa o conflito homem-fauna;
  • Desenvolvimento e estímulo de comportamentos favoráveis à conservação das onças e seus hábitats entre criadores, homens e mulheres, voluntários, instituições e escolas no Boqueirão da Onça e seu entorno;
  • Redução da predação de animais domésticos, por onças-pardas e pintadas, através da mudança no sistema de manejo dos rebanhos, incluindo a construção de ‘chiqueiros’ anti-predadores.

 

A área de estudo tem aproximadamente 9.000 km² e está localizada no norte da Bahia, abrangendo seis municípios (Sento Sé, Campo Formoso, Juazeiro, Umburanas, Morro do Chapéu e Sobradinho).

Devido à riqueza de sua fauna, flora, aos registros arqueológicos, presença de materiais paleontológicos e importantes cavernas, como a maior da América Latina (Toca da Boa Vista), é considerada uma área de importância “extremamente alta” para a conservação da biodiversidade. Por isso, em 5 de abril de 2018, foram criadas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio e pelo Ministério do Meio Ambiente – MMA, duas Unidades de Conservação, uma de proteção integral, o Parque Nacional do Boqueirão da Onça (347 mil ha – Decreto nº 9337), e outra de uso sustentável, a Área de Proteção Ambiental do Boqueirão da Onça (505 mil ha – Decreto nº 9336), que engloba em sua poligonal a Zona de Vida Silvestre da Toca da Boa Vista (11 mil ha).

O Programa continuará a colaborar para o preenchimento da lacuna no conhecimento sobre as onças no bioma e subsidiará tomadas de decisão para redução de conflitos, ações de conservação para as duas espécies no Nordeste e da biodiversidade da região, além de facilitar a melhoria na qualidade de vida de pequenos produtores rurais, parceiros da conservação e da convivência com os grandes felinos.

PUBLICAÇÕES

Medium and large sized mammals of the Boqueirão da Onça, North of Bahia State, Brazil

Experiências com mamíferos carnívoros na Caatinga

CONECTE-SE COM O programa

https://www.facebook.com/ProgramaAmigosdaOnca/

https://www.instagram.com/amigosonca/

 

CONTATO

programaoncas@procarnivoros.org.br

Região de atuação

caatinga

Equipe responsável

EQUIPE RESPONSÁVEL

Equipe executora:
Msc. Carolina Franco Esteves – Bióloga
Dra. Cláudia Sofia G. Martins – Engenheira Agrônoma
Dra. Maísa Ziviani Alves Martins – Bióloga
Msc. Francine Schulz – Bióloga
Daiana Jeronimo Polli – estudante de Biologia

Auxiliares de campo:
Ismael A. da Silva
Mariano Neto F. de Jesus

Galeria de imagens

Conheça mais projetos realizados pelo Instituto Pró-Carnívoros