O Instituto
Pró-Carnívoros

O Instituto para a Conservação dos Carnívoros Neotropicais – Pró-Carnívoros é uma associação civil, de direito privado, não governamental e sem fins lucrativos. Foi fundada no Brasil em 1996, está sediada em Atibaia - SP e tem projetos a campo em diversos pontos do país. Clique para saber mais

Novidades por e-mail

Olingo, Jupará
(Bassaricyon gabbii)

  • Nome comum em Inglês: Olingo
    Nome científico: Bassaricyon gabbii
    Nome/s comum em Português: Olingo, Jupará

    Informações gerais (valores médios com mínima e máxima em parênteses)


    Comprimento do corpo (cm): (35-41)a,b Cauda (cm):  (37-52) a
    Dieta: Onívora
    Peso (kg): (1-1.5) a Altura (cm):  Área de vida (km2): (0.23-0.38)b
    Número de filhotes: 1 Gestação (dias): 72 Longevidade (anos):
    Estrutura social: Solitários a
    Padrão de atividade: Noturno a


    a (Emmons & Feer 1997), b (Kays 2000) 

    Descrição Física
    Como seu próprio nome popular indica, esta espécie é muito confundida com o jupará-verdadeiro (Potos flavus), pelos hábitos muito similares. Sua pelagem é densa, de coloração marrom, com o ventre amarelo-claro, que o diferencia do jupará-verdadeiro.

    Ecologia e Habitat
    Ocorre principalmente no oeste e noroeste da região Amazônica, porém os cientistas não sabem o número de espécies de olingos e a sua distribuição permanece incerta (Koepfli et al. 2007, Reid & Helgen 2008).
    Olingos são quase inteiramente arbóreos, e são muito ágeis nas árvores, mas eles não possuem a cauda preênsil como a jupará-verdadeiro.
    Pouco se sabe sobre sua dieta, no entanto eles parecem se alimentar, principalmente de frutos e néctar (Kays 2000, Pontes & Chivers 2002).

    Ameaças e Conservação
    Não há dados sobre números de suas população, no entanto, devido à sua natureza arborícola a principal ameaça a esta espécie é a alteração e destruição do seu habitat florestal (Reid & Helgen 2008).


Links Online

IUCN redlist (http://www.iucnredlist.org) apresenta uma síntese dos conhecimentos atuais sobre a distribuição e estado de conservação.

Referências
Emmons, L. H., & Feer, F. (1997). Neotropical rainforest mammals: a field guide. Chicago: University of Chicago Press.

Kays, R. W. (2000). The behavior and ecology of olingos (Bassaricyon gabbii) and their competition with kinkajous (Potos flavus) in central Panama. Mammalia, 64, 1-9.

Koepfli, K. P., Gompper, M. E., Eizirik, E., Ho, C. C., Linden, L., Maldonado, J. E., & Wayne, R. K. (2007). Phylogeny of the Procyonidae (Mammalia : Carnivora): Molecules, morphology and the Great American Interchange. Molecular Phylogenetics and Evolution, 43, 1076-1095.

Pontes, A. R. M., & Chivers, D. J. (2002). Abundance, habitat use and conservation of the olingo Bassaricyon sp in Maraca Ecological Station, Roraima, Brazilian Amazonia. Studies on Neotropical Fauna and Environment, 37, 105-109.

Reid, F., & Helgen, K. (2008). Bassaricyon gabbii. In: IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.2. <www.iucnredlist.org>, , Downloaded on 04 July 2010.